8 Dicas para diminuir a inadimplência

como diminuir a inadimplência no condominio

A inadimplência nos condomínios é o terror de qualquer síndico, principalmente quando o orçamento depende da taxa paga pelos moradores. Desse modo, qualquer atraso ou falta de pagamento pode acarretar em prejuízos para todos. Por isso é muito importante tomar ações para diminuir a inadimplência no condomínio.

Muito embora esse já seja uma antiga reclamação dos síndicos, em geral, a atual situação econômica do país vem agravando ainda mais as inadimplências. E aí o que fazer? Como os síndicos podem solucionar esse problema sem expor os condôminos e sem entrar com as contas do condomínio no vermelho?

Pensando nisso, montamos algumas dicas que podem ajudar a você. Confira:

  1. Busque a conscientização
    A multa por pagamento atrasado da taxa mensal é de 2%, o que aumenta muito a inadimplência. Portanto, o mais importante é fazer com os moradores entendam o que está em jogo: o bem-estar coletivo.
  2. Formule regras.
    Se existe um conselho no seu condomínio ou se as decisões são tomadas em reuniões de moradores, é importante criar regras para validar e realizar a cobrança. É importante que todos saibam e concordem com elas. Por exemplo: a partir de quantas mensalidades atrasadas será feita uma cobrança ou uma notificação?
  3. Abra negociações
    Sempre dentro da legalidade, é importante deixar aberto o canal de negociação com o condômino devedor, para que ele apresente sua defesa e a possibilidade de regularização da dívida.
  4.  Busque ajuda de profissionais
    Um caminho interessante é se amparar por profissionais especialistas em cobrança para dar um caráter “mais oficial” à dívida do condômino.
  5. Notifique com antecedência
    Um dos mecanismos mais eficazes é mandar correspondências para os devedores avisando do vencimento das mensalidades.
  6. Evite expor os devedores.
    Em hipótese alguma coloque os nomes dos devedores em quadro de aviso. Isso poderá render problemas que extrapolam a dívida do condomínio.
  7. Não deixe a dívida acumular
    Não descanse enquanto os devedores não demonstrarem alguma possibilidade de pagamento daquilo que devem. Quanto mais a dívida se avoluma, mas prejudicado o condomínio fica.
  8. Tenha um fundo de reserva
    O condomínio deve ser pensando como uma empresa. Em momentos de crise, é preciso ter caixa para cobrir eventuais despesas. O fundo de reserva serve para ser usado em reparos e serviços emergenciais e pode ser consumido caso o síndico não consiga fechar as contas do mês.

Tenha cuidado: o montante retirado deverá ser restituído o quanto antes ao fundo, que possui destinação certa.

No início de 2016 o Código Penal sofreu uma alteração que deixou a lei mais firme para quem atrasa o pagamento do condomínio. Agora o devedor não poderá atrasar mais que três dias no pagamento, ou sofrerá ações judiciais como a penhora do imóvel. Para entender melhor essa mudança, clique aqui.

Preste atenção nas contas do seu condomínio. Organização e um bom planejamento financeiro são a chave para não deixar que a inadimplência interfira no seu orçamento. 😉